fbpx

Idosa deficiente é vítima de abandono e maus-tratos

Compartilhe!

Uma denúncia apresentada com exclusividade ao portal Polícia 24H mostra o descaso e os maus-tratos sofridos pelo abandono de uma idosa deficiente, de 76 anos de idade, e que podem estar sendo causados quem mais deveria defendê-la: sua própria família. O caso foi revelado pelo Conselho Local de Saúde da Unidade Básica de Saúde (UBS) Josephina de Mello, que funciona no bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus.

A denunciante revelou o estado de abandono e as dificuldades que tornam o dia-a-dia de dona Raimunda Viana da Silva muito mais difícil e preocupante. De acordo com relatos que foram levados até membros da UBS, e posteriormente repassados ao Conselho Local, a idosa, que sofre com deficiências físicas nas duas pernas e em um dos olhos, foi abandonada pelos familiares.

Segundo a denúncia, a senhora depende de muletas para se locomover, além de ter perdido a visão de um dos olhos. No imóvel em que reside, sujeira e condições precárias marcam o aparente descuido dos parentes, que só é minimizado pela ação de vizinhos e outros voluntários dispostos a minimizar a situação de abandono que assola dona Raimunda.

“Por três semanas nós buscamos ajudar com a limpeza a casa e do quintal, mas, infelizmente também temos os afazeres com nossas famílias. Mesmo com o apoio dos vizinhos, é essencial o apoio da família, que tem a responsabilidade com a idosa”, diz Cléo Polania, presidente do Conselho.

Polania diz ainda que a própria instituição chegou a organizar uma visita à idosa, revelando a situação sub-humana em que vive a mulher.

Idosa vive em meio a sujeira

Terra, lixo, insetos e a geladeira vazia foram apenas alguns dos problemas identificados durante as visitas. Subnutrida, a mulher sequer tinha forças para preparar o próprio alimento e, mesmo se quisesse, não poderia.

Na geladeira, a sujeira se destaca quase tanto quanto a falta de alimentos, já que apenas uma garrafa de água e uma maçã aparentavam ter alguma condição de consumo.

Por todo o imóvel, sujeira, poeira e bichos – muitos bichos – completam o cenário de arraso encontrado pelos voluntários, que promoveram um verdadeiro mutirão para ajudar dona Raimunda. Durante as três semanas em que auxiliaram com a limpeza do local, ele também juntaram doações para ajudar na subsistência da idosa.

Dona Raimunda, que é viúva e analfabeta, mora na rua Curimatã, bairro Jorge Teixeira 3, na zona Leste da capital amazonense. Natural do Ceará, ela mora só desde a morte do marido.

Apesar de ter filha e netos, dona Raimunda parece ser lembrada apenas quando chega o dia do pagamento da parca aposentadoria que recebe. Denúncias realizadas por vizinhos apontam que até o cartão utilizado para sacar o benefício já teria sido “confiscado” por uma neta, a única que, segundo as denúncias, aparece esporadicamente no imóvel.

A situação preocupa o Conselho de Saúde e a presidente, que tenta intermediar soluções que ajudem a melhorar as condições de vida de dona Raimunda.

Abandono de idosa foi denunciado à Polícia

Diante das tristes condições e do abandono da idosa deficiente, uma denúncia foi apresentada à Delegacia Especializada de Crimes Contra o Idoso (DECCI). A reportagem tenta contato com a Polícia Civil para saber como está o andamento da denúncia e a resposta será publicada em nova reportagem aqui no site Polícia 24H.

A situação caótica em que vive a mulher quase provocou uma tragédia há cerca e duas semanas, quando um princípio de incêndio foi contido por vizinhos, que estranharam um forte cheiro de gás e chamas vindo da residência da idosa. Ao adentrarem o imóvel, se depararam com dona Raimunda caída no chão em meio a sujeira e muitas formigas, enquanto uma panela pegava fogo em cima do fogão.

O eletrodoméstico, que era novo, ficou destruído. Ninguém soube dizer há quanto tempo a idosa estaria no chão, naquelas condições. Um vídeo registrado por uma das pessoas que socorreram dona Raimunda mostra a situação e pode ser visto no final desta matéria.

“Não queremos que essa senhora seja encontra morta, sozinha em sua casa, queremos que alguém da família se responsabilize por ela, ou pague uma cuidadora para cuidar da dona Raimunda”, diz a presidente do Conselho de Saúde.

Veja abaixo as cenas do abandono sofrido pela idosa deficiente, que por pouco, não resultou em tragédia, graças à ação de vizinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *