fbpx

Musico morre a caminho de clínica e polícia prende quatro

Compartilhe!

A Polícia Civil está investigando a morte de Roberto Padrenosso Filho, músico conhecido como Betinho Padrenosso. As investigações começaram na última segunda-feira (8) após funcionários de uma unidade de pronto atendimento de Valinhos entrarem em contato com os policiais.

Betinho estava morto quando chegou ao local. A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou que o caso envolvendo o músico de 47 anos foi registrado como sequestro e homicídio.

“O caso foi registrado como sequestro e homicídio na delegacia de Valinhos (SP). Quatro dos cinco envolvidos foram presos e permanecem à disposição da Justiça. Diligências seguem para esclarecer os fatos e localizar o outro homem que estava com o grupo”

Leia mais: Jovem é encontrado morto em terreno baldio após sequestro

Segundo informações da TV Tem, afiliada da TV Globo no interior de São Paulo, a polícia local confirmou que Betinho deixou a cidade de Jaú (SP) transportado em um veículo para uma clínica de reabilitação em Valinhos.

A emissora também informou que as pessoas detidas, responsáveis pelo transporte de Betinho em Jaú, não têm habilitação e nem credenciamento para a realização do trabalho. O Instituto Médico Legal (IML) realiza a perícia para confirmar a causa da morte.

Cantor e compositor, Betinho fez sucesso no interior de São Paulo ao integrar as bandas “Estado de Shock” e “Vambora”, fundada por ele nos anos 2000. A reportagem é do site Splash/UOL.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *