fbpx

Passageiro se nega a usar máscara e faz voo retornar

Compartilhe!

A postura irredutível de um passageiro ao se negar a usar máscara durante um voo entre Salvador, na Bahia e Brasília, no Distrito Federal, retornasse à capital baiana momentos após a decolagem, na manhã deste sábado (6). Equipamento obrigatório dentro dos aviões desde o início da pandemia, a máscara de proteção se transformou num grande transtorno para o homem, que acabou detido pela Polícia Federal.

A situação provocou confusão entre os passageiros, e diversas imagens foram divulgadas na internet após o episódio. Nas cenas, os comissários de bordo tentam convencer o homem a usar o acessório.

A sua recusa em colocar a proteção faz começar um bate-boca entre ele e outros clientes da companhia aérea, que o agridem verbalmente. Em um dos vídeos, publicado pelo portal brasiliense Metrópoles, um homem chega a afirmar que vai perder uma cirurgia por causa do retorno da aeronave.

Em outras publicações nas redes sociais pode-se observar os funcionários da empresa tentado conversar com o passageiro, que não demonstra interesse em colaborar.

Em entrevista ao portal da capital federal, um empresário baiano que preferiu não se identificar disse que , em pleno voo, o homem retirou a máscara e se recusou a usá-la diante dos comissários.

“Foram várias tentativas de conversa com ele, por parte dos comissários e passageiros, porém ele estava irredutível”, comentou.

Ainda de acordo com o empresário, a aeronave precisou retornar à cidade de origem. A Polícia Federal (PF) precisou ser acionada para retirá-lo do veículo de transporte aéreo.

“Quando o comandante avisou que o avião voltaria para Salvador novamente, foi quando se intensificaram as agressões verbais. Todo mundo revoltado, tinha uma passageira em estado terminal de câncer, outra com pânico de avião”, detalhou o passageiro.

Gol se manifesta sobre ocorrência

A companhia aérea Gol informou que o voo G3 1865 (Salvador-Brasília) precisou retornar ao aeroporto de Salvador, logo após a decolagem, porque um passageiro se recusou a usar a máscara durante a viagem.

A empresa ressalta que, após o desembarque do passageiro, o restante dos clientes seguiu viagem normalmente, com previsão de pouso às 13h no Aeroporto Internacional de Brasília Juscelino Kubitschek.

“A Gol reforça que o uso de máscaras é uma questão de segurança coletiva e que foi a primeira companhia a adotar a prática para todos os clientes nos voos em operação, sendo o uso de máscaras obrigatório para todos, com raras exceções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *