fbpx

R$ 1 bi gasto por Braga em ponte pavimentaria toda a BR-319

Compartilhe!

A Ponte sobre o Rio Negro foi entregue pelo então governado Eduardo Braga (MDB) a população do Amazonas em 2011. A obra custou cerca de R$ 1 bilhão, o dobro do previsto, e daria para pavimentar 90% da BR-319, de acordo com o Ministério da Infraestrutura.

Os dados do ministério apontam que a repavimentação do Lote C da BR-319 deve custar R$ 165,7 milhões e compreende o trecho entre o Km-198 e Km250.

Cada quilômetro pavimentado na rodovia custará aproximadamente R$ 3 milhões, em média. A rodovia tem 400 quilômetros e a obra total deve custar R$ 1,2 bilhões para ser concluída.

A BR-319 e tem quase 900 km e foi inaugurada em 1976. A rodovia é a única ligação por terra de Manaus ao resto do país, via Porto Velho (RO).

Hoje, toda a produção do polo industrial de Manaus voltada para os consumidores do eixo Sul-Sudeste é feita por outros meios de transporte, como fluvial e aéreo.

Crise na saúde poderia ser amenizada com BR-319

O amazonas enfrenta a segunda onda da doença com a presença de uma nova cepa da doença, a P1, detectada por cientistas do Instituto de Medicina Tropical da USP.

Uma das consequências do isolamento de Manaus com boa parte do Brasil foi o problema no abastecimento de oxigênio, de acordo com o prefeito David Almeida.

“Manaus é cidade-Estado. Nós temos mais da metade da população do Estado morando em Manaus. Todas as UTIs do Estado estão em Manaus”, afirmou o prefeito em entrevista ao jornal Estadão.

O argumento do prefeito é que a cidade recebe pacientes de 62 municípios e que o isolamento geográfico da região afeta a chegada dos tubos de oxigênio necessários no sistema de saúde.

Eduardo Braga diz que defende pavimentação da BR-319, mas optou pela ponte

A pavimentação tem sido bandeira de luta política de diversos governantes. Eduardo Braga, agora senador da república. fez uma publicação nas redes sociais dizendo que “é desumano não asfaltar a BR-319”.

Enquanto governador, colocou a ponte como prioridade e gastou R$ 1 bilhão dos cofres públicos do estado. O orçamento astronômico foi alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF).

O político teve o nome citado na delação premiada do ex-executivo da Camargo Corrêa e da Odebrecht, Arnaldo Cumplido. Segundo o delator, Braga recebeu R$ 1 milhão durante a construção da Ponte do Rio Negro.

O valor estava em uma planilha apresentada à procuradoria durante o inquérito.

Mas o ministro do STF Alexandre de Moraes determinou o arquivamento dos inquéritos contra os senadores Eduardo Braga e Omar Aziz (PSD). O minitro apontou que as acusações do delator são inconsistentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *