fbpx

Baile funk em escola pública acaba em tiroteio e 40 presos

Compartilhe!

Uma operação da Polícia Militar para reprimir a realização de um baile funk dentro de uma escola pública teve tiroteio e prendeu cerca de 40 suspeitos em uma das comunidades do Complexo da Maré, na zona Norte do Rio de Janeiro, na tarde desta sexta-feira (16). Segundo a Polícia Militar, agentes do Comando de Operações Especiais (COE) atuaram nas imediações da comunidade Parque União para reprimir a ação de criminosos nas instalações de uma escola e a realização de um baile.

Vídeos do intenso tiroteio decorrente da chegada dos policiais mostram momentos de tensão vividos por moradores, que descreveram o terror nas redes sociais.

Leia mais: Dois mortos e um ferido durante tiroteio em bar

“Fiquei uns 10 minutos deitada no chão com minha família enquanto rolava tiroteio aqui no Parque União”, disse uma internauta. “O Bope entrou com tudo no Parque União, nunca vi tanta polícia na minha vida”, comentou outra. “

A PMERJ divulgou um vídeo onde é possível ver o interior do Centro Integrado de Educação Pública (CIEP) 326 – Professor Cesar Pernetta montado com uma tenda para a realização do baile. Durante a incursão, os agentes apreenderam um fuzil, um revólver e material para realização do evento, entre bebidas e equipamentos de som. 

Tiroteio por causa de baile funk prejudica milhares

A ocorrência travou o trânsito da Linha Vermelha, uma das principais vias expressas da capital fluminense, com interligações para locais como o aeroporto Tom Jobim e a ponte Rio-Niterói com a região central da cidade. A avenida Brasil, principal ligação entre o Centro da cidade com diversos bairros entre as zonas Norte e Oeste e municípios da Baixada Fluminense, também foi afetada, prejudicando milhares de pessoas.

Em nota, a PM informou que “o policiamento no entorno da comunidade está reforçado pela presença de equipes do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) e de outros batalhões da região: 16ºBPM (Olaria); 17ºBPM (Ilha do Governador) e 22ºBPM(BPM) Maré. Ocorrência em andamento”.

Leia mais: Dois dias depois, Belo se manifesta sobre prisão da filha

O mesmo CIEP já foi alvo de uma ação semelhante em fevereiro deste ano, quando o cantor Marcelo Pires Vieira, o Belo, foi preso por gerar aglomeração durante um show realizado na escola. A ação foi em cumprimento de quatro mandados de prisão preventiva e cinco mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra os responsáveis por promover a invasão e realização do evento no Ciep.

As informações são da repórter Natasha Amaral, do jornal O Dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *