fbpx

Traficante flamenguista é preso em hotel usando o nome de ‘Bruno Henrique’

Compartilhe!

Um traficante identificado como Nei Carlos Souza da Silva, conhecido por Ti Baiano, de 45 anos, usou o nome do atacante do Flamengo Bruno Henrique para se hospedar em um de luxo na Praia de Ondina, em Salvador, capital da Bahia, onde foi preso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCERJ) na última quinta-feira (22). Ele fez o check-in na segunda e, de acordo com o hotel, Ti Baiano apresentou um documento com a falsa identificação.

O traficante estava com a mulher e a filha quando foi encontrado, ocupava dois quartos do hotel e tinha consigo R$ 61,3 mil em espécie e joias em ouro. O documento apresentado ao dar entrada no hotel não foi encontrado.

“Ele alegou que estava em uma viagem de passeio, mas evidente que não acreditamos nessa versão, pela grande quantidade de dinheiro que estava com ele”, enfatiza o delegado João Valentim, titular da 106ª DP (Itaipava-RJ), que participou da ação que prendeu o traficante.

Ti Baiano foi localizado após troca de informações de inteligência entre agentes da Bahia e do Rio. A polícia colocou homens infiltrados no hotel, que acompanham os passos do criminoso. Um deles, inclusive, estava com a camisa do Fluminense.

“Ele mantinha uma certa discrição por lá. Ele não descia para o café da manhã e só circulava por uma área mais reservada”, afirma o delegado.

O traficante chegou ao Rio em um voo fretado na noite desta sexta-feira, que pousou no Aeroporto Santos Dummont, no Centro, por volta das 22h. Ele foi levado à Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DC-Polinter) e deu entrada em um presídio do estado neste sábado.

Líder de torcida

O traficante age no Complexo da Maré, um grande conjunto de favelas na zona Norte do Rio de Janeiro, e em áreas da Região Serrana fluminense como integrante da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Ele tem uma forte ligação com o Flamengo, tendo, inclusive, liderado a torcida organizada Jovem Fla, uma das maiores do time Rubro-Negro.

“Ele tem um vínculo grande com o Flamengo; já era um torcedor que tinha uma liderança na torcida, em meados dos anos 2000. No Parque União (uma das comunidades que compõem o Complexo da Maré), ele é dono de uma loja de produtos do time. O Flamengo não confirmou se a loja é oficial, mas tudo indica que ele comercialize produtos oficiais por lá”, cogita Valentim.

‘INTERCÂMBIO’ COM TRAFICANTES DE SALVADOR

Nascido em Salvador, Ti Baiano mudou para o Rio em 1998. Em 2000, ele foi condenado por roubo e ficou 11 meses na cadeia. Seis anos depois, ele voltou para a Bahia, para o Complexo do Nordeste de Amaralina, que é a maior favela da capital baiana.

“Há uma investigação da Polícia Civil da Bahia de que os traficantes da Amaralina tem alguma ligação com criminosos do Comando Vermelho. Há a suspeita de que eles fazem intercâmbio de armas e drogas”, conta Valentim.

Procurado desde setembro de 2019, o traficante possui outras duas condenações por tráfico de drogas, cujas penas somam sete anos de prisão. Contra ele havia três mandados de prisão em aberto, dois pela condenação, e o mais recente, de 20 de setembro deste ano, de prisão temporária por um homicídio.

Com informações do jornal Meia Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *