fbpx

Homem é preso após espancar mulher por duas horas

Compartilhe!

Um homem foi preso por tentativa de feminicídio após espancar a mulher com chutes e pontapés por cerca de duas horas, na madrugada do último domingo (8), em uma comunidade no Complexo da Maré, na zona Norte do Rio de Janeiro. Severino Marcelo da Silva, de 42 anos, foi detido, nesta sexta-feira, por policiais civis da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM).

De acordo com a delegada Débora Ferreira Rodrigues, titular da Deam Centro, a briga começou quando os dois voltavam de uma festa. Severino, que é dono de um restaurante no Morro do São Carlos, na região central da cidade, pegou o celular da mulher, que é auxiliar de cozinha, e a ameaçou caso encontrasse algo “suspeito”.

“Ele sempre a ameaçou dizendo que no dia em que achasse alguma coisa no aparelho ia bater nela. Ao pegar o aparelho, ele viu não sei o quê, ficou com muita raiva e começou a espancá-la. Ele a enforcou várias vezes, fazendo com que ela desmaiasse”, conta a delegada.

Ainda segundo a delegada, após as agressões, o suspeito procurou a enteada de 18 anos , filha vítima, para avisar que ela “a socorresse”.

“Ele ligou para a menina e disse ‘vem cá socorrer sua mãe'”, afirma Rodrigues, dizendo que quando a moça chegou ao local, encontrou a mãe caída no chão, totalmente ensanguentada.

A mulher foi socorrida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré, mas, por causa dos graves ferimentos, foi levada ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, onde ficou mais três dias. Nem internada, no entanto, ela deixou de ser amaçada pelo marido. Diante da situação, a filha procurou a polícia para denunciar o padrasto.

Os policiais da Deam Centro tentaram prender Severino em flagrante, na casa e no restaurante dele, mas não o encontraram. Como a cinco dias das eleições, apenas pessoas com prisão em flagrante podem ser capturadas, a delegada recorreu à Justiça para ver se conseguia prendê-lo.

O VI Juizado da Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher no bairro Leopoldina, também na região central da capital, autorizou, na quarta-feira (11), o cumprimento imediato do mandado de prisão temporária, para assegurar a proteção da mulher.

“O direito ao sufrágio não deve se sobrepor ao direito de incolumidade física e psíquica da vítima”, escreveu na sentença a juíza Katerine Jatahy Kitsos Nygaard.

Severino foi capturado no Estácio e ficou quieto ao ser encontrado pelos policiais. Ele foi autuado por tentativa de feminicídio, que é o crime cometido contra vítima em função de sua condição de mulher.

“Essa vítima teve um AVC sete meses atrás e ele sabia disso. Durante as agressões, ele deu vários socos na cabeça dela, por isso o atuei como tentativa de feminicídio, porque se você sabe que a sua esposa teve um AVC há meses e bate e dá socos na cabeça dela, você não quer machucar, você quer matar”, defende Rodrigues.

Com informações do jornal O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *