fbpx

Polícia pede apoio da PF para prender suspeito de estuprar familiares

Compartilhe!

A Polícia Civil do Piauí (PC-PI) solicitou apoio à Polícia Federal (PF) para prender o estudante de medicina Marcos Vitor Aguiar Dantas Pereira, de 22 anos, considerado foragido da Justiça. Marcos é acusado de estupro de vulnerável contra duas irmãs e duas primas em Teresina.

O Tribunal de Justiça do Piauí, por meio do juiz da Central de Inquéritos de Teresina, Valdemar Ferreira Lima, decretou a prisão preventiva do suspeito, mas ele não foi localizado pela polícia. De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil do Piauí, Luccy Keiko, a central de inteligência da Polícia Civil foi acionada junto como outras instituições de segurança, como a da Polícia Federal, para auxiliar nas buscas pelo suspeito.

Leia mais: Homem que estuprou enteada de 11 anos é preso

O caso é investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A polícia pede o apoio da população para localizar o suspeito. Quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro de Marcos Vitor, pode fazer uma denúncia anônima por meio do telefone (86) 3216-5225 ou através do site http://www.pc.pi.gov.br/contato.php.

A Polícia Federal poderá emitir alerta nos aeroportos brasileiros caso o Marcos Vitor tente deixar o país já que ele tem visto para os Estados Unidos. Em nota a PF esclarece que está prestando o devido apoio à Polícia Civil no cumprimento do mandado de prisão preventiva que se encontra em aberto.

“Todas as unidades da PF nas fronteiras aéreas e terrestres foram comunicadas e encontram-se em alerta”, diz nota assinada pela PF-PI.

A Defesa

A informação que se tem é a de que o acusado teria ido embora para o exterior. Outros familiares de Priscila, incluindo a mãe e a avó de Marcos, teriam dito que ele não estava foragido, mas sim tinha ido para outro país para fazer um curso.

Priscila e as demais mães vítimas não acreditam nisso. Acham que sim, ele fugiu porque sabia da possibilidade de ser preso. O advogado de defesa do estudante acusado de pedofilia, Eduardo Faustino Lima Sá, já revelou em entrevistas anteriores que ele não está foragido, apenas preferiu abrir mão do “direito ao interrogatório”. A Polícia agora acredita que ele deve se entregar nas próximas horas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *