fbpx

Sistema de segurança dá resposta a guerra de facções

Compartilhe!

Na noite de segunda-feira, dia 10, ainda durante o foguetório promovido em Manaus pela organização criminosa Comando Vermelho, o sistema de segurança pública instalou um gabinete de crise e colocou um efetivo reforçado nas ruas. Três supostos líderes da facção foram presos com arma e pelo menos mais cinco foram detidos fazendo pichação em apologia ao crime organizado.

“Estamos nos antecipando e fazendo tudo que é preciso para resguardar a ordem nos presídios e a integridade da população. O firme combate ao tráfico provoca reações e estamos utilizando todo nosso aparato policial, e de inteligência, para proteger a população’’, afirmou Carlos Almeida, governador em exercício.

Em uma das áreas mais disputada por CV e FDN, o residencial Viver Melhor, a Rocam prendeu um homem apontado como liderança do local. Renato do Nascimento Palhares fazia a proteção de um grupo que pichava um muro quando foi preso com uma arma.

Membros do CV presos no Centro – Divulgação

Na área do Centro, policiais da 24ª Cicom prenderam cinco homens que faziam o chamado “bonde” para soltar fogos e pichar paredes com a sigla do Comando Vermelho.

Mortes

Enquanto os policiais agiam em todas as zonas da cidade, as facções se matavam dentro e fora do presídio.

Na rua Sobrinho Maranhão, no Aleixo, um membro do Comando Vermelho foi assassinado a tiros pelo grupo rival no momento em que pichava o símbolo da facção carioca.

Fabrício foi morto por colegas de cela – Reprodução

No Complexo Penitenciário Anísio Jobim, o Compaj, o detento Fabrício Silva dos Santos Neto, de 31 anos, foi morto por três colegas de cela.

Fora essas situações pontuais, nenhuma outra ocorrência mais grave foi registrado em Manaus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *