fbpx

Professor é preso por estuprar meninos de 7 e 9 anos

Compartilhe!

Um professor de 72 anos foi preso na tarde desta quarta-feira (07) suspeito de estuprar meninos de 7 e 9 anos. O crime aconteceu em 2020, mas a polícia apontou que o suspeito cometia o crime há mais de 30 anos.

De acordo com o delegado Aldiney Nogueira, titular da 38a DIP de Itapiranga, interior do Amazonas, a prisão ocorreu na residência do professor, em um bairro da zona urbana do município, por volta de meio dia.

As investigações duraram aproximadamente dois meses e, há cerca de uma semana, foi solicitado o mandado de prisão preventiva do suspeito, que foi expedido na manhã de hoje pela juíza da Comarca do município, Tânia Mara Granito, o qual também foi cumprido no mesmo dia.

Leia mais: Polícia recupera parte de mercadoria de golpe pela internet

Professor preso se aproximava de família vulneráveis para estuprar meninos

“No decorrer das investigações apuramos que o homem se aproximava de famílias em vulnerabilidade social, ganhava a confiança destas, oferecendo-lhes ajuda financeira, cestas básicas, e, então, chegava em seus alvos, as crianças, oferecendo a elas brinquedos, bicicletas e até aparelhos celulares. Em média, o homem atuava desta forma há cerca de 30 anos”, explicou o delegado.

Conforme a autoridade policial, após conquistar a confiança das famílias, o infrator levava as crianças para sua casa e lá praticava o ato criminoso.

Em 2020, mais exatamente de fevereiro a novembro daquele ano, o professor acomodou em sua residência os dois meninos, que são irmãos. Certo dia, ele obrigou um deles a assistir conteúdos pornográficos, e, em seguida o coagiu a realizar as mesmas ações vistas nas imagens.

“O conselho tutelar conseguiu localizar as duas crianças, que antes moravam com este professor, no ano de 2020, agora moram em outro município. Após exame de corpo de delito, e depoimento, os abusos foram constatados”, finalizou o delegado.

O homem irá responder pelo crime de estupro de vulnerável, e, após os procedimentos cabíveis na unidade policial, ele permanece na carceragem da DIP à disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *